MMPB: Conheça o site que compila (e explica) músicas brasileiras machistas e populares

Quando ‘Só Surubinha de Leve’, do MC Diguinho, foi lançada, bombou na rede um monte de campanhas relembrando outras músicas, dos mais diversos gêneros, que também apresentavam a mulher de forma desrespeitosa. Acontece que mesmo diante de tal exposição, muitas pessoas não compreender o poder da música, minimizando a situação: ‘ah, mas quanto mimimi, isso é só uma música’.

A música, porém, é um produto cultural, que reflete e retrata o quanto nossa sociedade ainda caminha a passos lentos em relação ao respeito à mulher enquanto indivíduo. Não há inocência em letras que cantam que a mulher deve apanhar, morrer, sofrer, ser estuprada…

E com o intuito de provocar mais reflexões sobre o tema surge o site MMPB – Música Machista Popular Brasileira. Seu funcionamento é bem simples: ao acessá-lo, basta clicar no ícone ‘suffle’ para se deparar com uma música, seu respectivo videoclipe + explicações sobre a razão de seu machismo + destaque dos versos desrespeitosos.

surubinhadeleve

Para mais embasamento, algumas das músicas têm links complementares, com pesquisas e notícias relacionadas ao tema abordado na composição – de crimes contra mulheres ao feminicídio.

Um ‘suffle’ seguido por outra mostra centenas de canções com letras escancaradas ou enrustidas, dos mais diversos segmentos musicais, cantadas não apenas por homens, como mulheres também. Estão na lista, por exemplo: ‘Conselho do Vadio’; do sambista Candeia, ‘Ciúme de Você’; do rei Roberto Carlos e até o hit ‘Beijinho no Ombro’; da Valesca.

Na página, há também a opção de sugerir uma música a ser incluída no acervo do site. Toda indicação é bem-vinda!

 

Comentários

Comentários

Adele Grandis: Taurina com ascendente em touro - isso explica muita coisa!