Passado o frisson, vamos falar da SPFW?

Mais do que as próximas tendências de moda, o destaque do 43ª São Paulo Fashion Week foi a presença de algumas modelos transex nas passarelas – como Maria Clara de Melo, que desfilou para a Beira, Marcela Thomé que apareceu no casting de À La Garçonne, Amir Slama, Lino Villaventura e PatBo e Valentina Sampaio que desfilou para Amir Slama, Isabela Capeto, Lilly Sarti, Memo e Two Denim.

No entanto, por mais que a cada edição o evento traga alguma novidade agradável de ver, ainda estamos muito distantes de um cenário realmente inclusivo. Uma vez que os consumidores estão mais conscientes e exigentes, muitas marcas apostam na proposta de inclusão visando apenas suas próprias vendas.

Há a predominância das modelos com estética e manequins pouco representativos e uma população consumidora que segue invisível à indústria fashion. Cadê os anões, deficientes físicos, gordos, transexuais masculinos e velhos sob os holofotes?

Por outro lado, é de se reconhecer os feitos de uma das principais semanas de moda do mundo. Desta vez, por exemplo, o feminismo foi uma excelente pauta. E sendo o nosso um dos países com maior número de assassinatos de mulheres e transexuais, é uma alternativa válida de fazer nossa voz ser escutada.

Eis nossa seleção de marcas que fizeram bonito na última SPFW:

:: 2nd Floor ::

Ellus 2nd Floor SPFW - N43 Março / 2017 foto: Ze Takahashi / FOTOSITE
Focando no empoderamento feminino, a coleção inspirada na Mulher Maravilha mostrou uma versão contemporânea da heroína; que dá as caras como uma ‘mulher real’.

:: Amapo ::

spfw_ama4
Um desfile que chamou a atenção pela criatividade; seja das peças, do casting, da proposta… Carô Gold e Pitty Taliani apostaram no universo circense para fazer uma analogia à vida do povo brasileiro, que vive na corda bamba, matando um leão por dia.

:: Amir Slama ::

spfw_as1
Mais do que as peças em si, o que chamou a atenção no desfile foi a presença das modelos trans e as mensagens ‘escondidas’ nos corpos do casting e só se revelavam às luzes dos flashes das câmeras.

:: Ellus ::

Ellus SPFW - N43 Março / 2017 foto: Ze Takahashi / FOTOSITE
Enquanto a UMA levou apenas uma sexagenária à passarela, a Ellus apostou em alguns cinquentões em seu casting, que contou com a presença de outras tops não tão baby-face (Lu Curtis, Carol Ribeiro, Marcelle Bittar, Marina Dias e Mari Weickert). Comemorando 45 anos, a marca apresentou também Rebeca Gobbi e Filipe Hillmann entrando com looks iguais e busto de fora. Quanto às peças, predominam o couro e alfaiataria, além de muito jeans.

:: Era ::

Projeto Estufa - Era SPFW - N43 Março / 2017 foto: Zé Takahashi / FOTOSITE

O casting mais mesclado e uma coleção versátil com mensagens de paz. Padronagens diversificadas, peças unisex e mix de materiais. Ar hippie, de paz e amor <3

:: Fabiana Milazzo ::

spfw_fm4
A arquitetura, a fauna e as paisagens brasileiras foram inspirações para a coleção da marca, desenvolvida de maneira colaborativa. A estilista comanda o projeto social Mulheres de Renda, que permite às associadas levar os filhos junto enquanto aprendem a bordar – no mesmo tempo, as crianças têm espaço para brincar e fazem aulas de futebol e música. As peças também foram criadas com a participação da ONG Casulo Feliz, composta por ex-presidiárias que fizeram o fio de seda para casacos e blusas da coleção. E o sobrinho da designer, Luis Felipe Guimarães, de 16 anos, é quem criou os desenhos que estampam algumas peças.

:: João Pimenta ::

Joao Pimenta SPFW - N43 Março / 2017 foto: Zé Takahashi / FOTOSITE
Sua alfaiataria sempre impecável e ‘fora da caixa’, aposta em peças oversized e muitas saias para os homens. Outra boa surpresa é a tecnologia dos materiais – como o neoprene desenvolvido em forma biodegradável e os tecidos esportivos que funcionam como membrana impermeável de nylon para chuva, mas que permitem a transpiração da pele.

:: LAB ::

spfw_lab3
Um mix de inspirações serviu como base para o desenvolvimento da coleção. O fio condutor é o trabalho manual de Jacira, mãe do rapper Emicida e Fióti. Tendo a herança como conceito e o samba como temática, a persona criada para a história é a de um menino, skatista, que usa roupas da LAB, ouve rap e herda o guarda-roupa de seu avô, um sambista dos anos 30. Vê-se então uma mistura de peças street com outras vintage e todo esse processo é apresentado com começo, meio e fim; seguindo os moldes de uma escola de samba na avenida. Lindo também o casting ser 70% negro e, mais uma vez, levar gordos às passarelas.

:: Vale da Seda por Enéas Neto ::

Projeto Estufa - Vale da Seda SPFW - N43 Março / 2017 foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE
Uma aula de consumo consciente, o desfile foi uma ode à evolução do material seda, partindo do casulo e chegando a organza. Todas as peças contêm etiquetas com QR code que permite ao consumidor investigar informações de sua procedência – como a quantidade de carbono emitida ou a quantidade de pés de amoreira necessária a sua produção (as folhas da amoreira são alimento para o bicho-da-seda produzir o casulo que dá origem aos fios da seda).

:: Vitorino Campos ::

Vitorino Campos SPFW - N43 Março / 2017 foto: Ze Takahashi / FOTOSITE
Uma coleção dedicada à amplitude de estilos e diversidade da mulher; composta por peças estruturadas que mesclam o 80’s e o grunge resultando em looks contemporâneos.

[Crédito de Imagens: Zé Takahashi / FOTOSITE]

Comentários

Comentários

Adele Grandis: Taurina com ascendente em touro - isso explica muita coisa!