O louco voltou: Heitor Werneck retorna à moda com coleção fetichista


Em tempos de fast fashion, com magazines apostando na produção em massa de peças tendências das temporadas, Heitor Werneck vai à contramão. Após passar a última década longe dos holofotes para se dedicar ao tratamento do osteosarcoma, um câncer ósseo maligno que atingiu sua coluna, ombros e quadril, o estilista e produtor cultural faz seu retorno com uma proposta diferenciada.

No decorrer de quase dez anos, a moda ficou em segundo plano para Heitor, uma vez que teve de se submeter a diversas cirurgias, além de sessões de acupuntura, fisioterapia, pilates, quimioterapia, radioterapia e RPG. Focando-se na saúde, a moda teve de ficar em segundo plano, mas nem de longe foi abandonada. O criador da Escola de Divinos – marca que fez sucesso entre os clubbers na década de 90 – e figurinista de uma série de produções da Rede Globo – como ‘A Viagem’, ‘Cara ou Coroa’, ‘Sai de Baixo’ e ‘Vamp’, está de volta.

Trata-se de uma parceria com a butique erótica Lovetoys, localizada na rua Augusta, 2.729, nos Jardins, em São Paulo. O segundo andar da loja é inteiramente dedicado ao universo fetichista e é lá onde se encontram todas as peças da linha Heitor Werneck para Lovetoys. Com preços entre R$80 e R$500, a coleção conta com camisetas, jaquetas, blazers, corselets, saias, croppeds, vestidos e calças.

Defendendo uma moda universal, inclusiva e de qualidade, Heitor apresenta itens genderless, com caimento que valoriza a diversidade dos corpos e que, ao invés de seguir tendências, propõe a reafirmação da identidade e personalidade de seus usuários.

Confeccionadas à mão, as peças têm predominância do preto; com detalhes que fazem toda a diferença (como um dos casacos com interior estampado por formigas ou as camisetas com estampas que recriam telas clássicas em versão sadomasô).

‘Eu faço uma moda sem padrão, sem obedecer às estações. Ela é feita para todos, para o novo corpo do homem e da mulher. Todos os corpos são bonitos à sua maneira e eu quero fazer roupas para toda essa diversidade’, explica Heitor.

Comentários

Comentários

Adele Grandis: Taurina com ascendente em touro - isso explica muita coisa!