Estupro: a culpa é da mulher (?)

estupro_datafolha_2

Considerando as denúncias efetuadas, uma mulher é estuprada a cada onze minutos no Brasil; totalizando quase 50 mil casos por ano. Acredita-se, porém, que tais números representem apenas 10% dos crimes sexuais que realmente ocorrem no país. Uma vez que a maioria das vítimas, por razões distintas, oculta o ocorrido, estima-se que a realidade corresponda a 500 mil estupros anuais.

Uma recente pesquisa realizada pelo Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), traz constatações assustadoras no que diz respeito ao assunto. Entre os dias 1º e 5 de agosto, foram entrevistadas 3.625 pessoas de 217 cidades espalhadas por todo o Brasil. E o levantamento revela que um em cada três brasileiros acredita que a culpa de um estupro é da mulher e não do criminoso.

42% dos homens acham que mulher que se dá ao respeito não é estuprada. 30% declaram que uma mulher que usa roupas provocativas não pode reclamar se for estuprada. Ainda que esses sejam pensamentos mais comuns entre o público masculino, 32% das mulheres também concordam com a afirmação.

As opiniões variam conforme idade, sexo, região e educação dos entrevistados, mas num contexto geral, a mulher é tida como culpada. 44% dos entrevistados mais velhos, com idade igual ou superior a 60 anos, creditam a culpa à mulher, enquanto 23% das pessoas entre 16 e 34 anos pensam o mesmo.

Baseando-se no nível educacional, 47% dos brasileiros que cursaram apenas o ensino fundamental colocam as vítimas como responsáveis pela violência sexual. Dentre quem cursou o ensino superior, o número não chega a 20%.

estupro_datafolha_3

85% das mulheres entrevistadas temem violência sexual – no Nordeste o índice corresponde a 90%, no Sul a 78%. E por mais que culpabilizem as mulheres, os homens também temem o abuso. 65% dos brasileiros tem medo de sofrer algum tipo de violência sexual.

De acordo com o levantamento, as leis nacionais protegem os estupradores e a atuação das polícias é questionável. 51% não acreditam que a Polícia Militar (PM) esteja preparada para atender mulheres vítimas de violência sexual e 42% pensam o mesmo da Polícia Civil.

Considerando as reclamações recebidas pela Ouvidoria da Secretaria de Políticas Para Mulheres, nove em cada dez são contra o serviço de atendimento da PM e assistência das delegacias tradicionais e especializadas.

Em São Paulo, por exemplo, apenas dois em cada dez inquéritos são esclarecidos – o restante é absolvido. Nas vítimas atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), 70% são crianças ou adolescentes e quase 80% dos criminosos são conhecidos e/ou próximos delas.

Ou seja, dados e estatísticas apenas comprovam quanto o machismo está enraizado em nossa sociedade. A desvalorização no discurso da mulher é constante, não à toa ela tida como culpada pelo desvio de caráter e personalidade de homens que têm suas ações abusivas e criminosas absolvidas.

Qual a justificativa que se dá ao considerar que muitas vítimas de estupro são menores de idade? Creditamos às roupas provocativas e falta de respeito também? Já passou da hora de desconstruirmos estereótipos de gênero que reforçam a intolerância e o preconceito. Ao invés de insistir para que meninas sentem de pernas fechadas, precisamos ensinar os meninos a não estuprar!

estupro_datafolha_1

Comentários

Comentários

Adele Grandis: Taurina com ascendente em touro - isso explica muita coisa!