Por que Emma Watson não vai mais estrelar campanhas de beleza?

EMMA'S IN LOVE  Emma's almost unrecognisable with short red hair and blusher in this new ad for lancome. Emma Watson -  In Love Lancome's ad campaign preview - Spring/Summer 2013. 74018 EDIORIAL USE ONLY

Aos 25 anos, Emma Watson tem se destacado como ícone jovem do feminismo. É, inclusive, embaixadora da ONU Mulheres em prol da igualdade de gêneros e até decidiu desacelerar sua agenda este ano para voltar suas atenções às causas sociais.

No entanto, uma nova campanha da Lancôme, marca da qual a atriz fora garota-propaganda entre 2011 e 2013, gerou controvérsias e bombou as mídias sociais da moça com comentários de internautas indignadas.

Trata-se da campanha de Black Expert, um corretor facial que propõe o clareamento de poros e cicatrizes, apresentada com a seguinte legenda: ‘Perfect Whiteness’ (Brancura Perfeita). A denominação deu espaço às associações racistas e discriminatórias contra Watson.

ew_lancome2

Acontece, porém, que os cliques foram feitos sem que ela soubesse qual seria sua finalidade de divulgação, à época na qual era rosto da marca francesa. Em apoio às criticas, a atriz enviou um comunicado oficial à imprensa revelando seu real posicionamento: ‘Muitos artistas têm controle limitado de sua imagem ao assinarem contratos com marcas. Não posso comentar acordos passados feitos por minha cliente com a Lancôme, mas posso garantir que ela não irá mais participar de propagandas de produtos de beleza, os quais nem sempre refletem a diversidade da beleza das mulheres’, divulgou sua assessoria de imprensa.

A Lancôme também se pronunciou em nota oficial: ‘Black Expert foi criado há vinte anos. Auxilia na iluminação, tonalidade da pele e promove um visual mais saudável ao rosto. Este é um tipo de produto oferecido por todas as marcas’.

ew_lancome3

A revolta das internautas vai além da promoção de um produto que suporta a proposta da indústria de beleza em incentivar o consumo de produtos que padronizam a beleza feminina. O termo ‘whiteness’ é racista por associar brancura à perfeição.

Esta é uma palavra de única dimensão. Não se trata de radiar e iluminar e todas as outras coisas que esses produtos se comprometem a fazer. Eles não clareiam a pele, apenas fazem com que ela brilhe’, explicou Christine Chang, co-fundadora do e-commerce Glow Recipe.

Adds France Winddance Twine, professor de sociologia da Universidade da Califórnia, concorda que a escolha da palavra contribui negativamente para a aceitação do produto: ‘A linguagem realmente importa. Na Ásia você pode dizer ‘branqueador’, no Caribe ‘corado’, na Índia ‘iluminador’. Nos Estados Unidos se diz ‘creme removedor’ e se o target são mulheres mais velhas, ‘anti-idade’. Porém, nenhuma delas significa, de fato, que a intenção é clarear a pele; até porque isso é algo que não existe’.

ew_lancome4

Comentários

Comentários

Adele Grandis: Taurina com ascendente em touro - isso explica muita coisa!