Londres ganha primeiro museu da empatia do mundo


empatia1
Antes de julgar um homem, caminhe um quilômetro em seus sapatos’ – eis um famoso dito popular na gringa que serviu de inspiração para a criação do primeiro Museu da Empatia do mundo.

Idealizado pelo escritor Roman Krznaric (também pensador cultural e especialista internacional em empatia), o projeto consiste em um espaço experimental dedicado a nos auxiliar a ver a vida através da perspectiva dos olhos de outras pessoas.

Uma exposição itinerante que vai viajar o mundo sem data pra acabar, o museu foi inaugurado em setembro passado, durante o Thames Festival, em Londres.

empatia2
Durante um mês, os visitantes puderam conferir uma instalação em forma de caixa de sapatos com interior que simulava uma loja de calçados. Ali, eram convidados a calçar um par de sapatos com número correspondente ao seu e caminhassem assim por um quilômetro enquanto ouviam em fones de ouvido a história da pessoa a quem aqueles calçados pertencem.

Uma pessoa que passou anos na prisão, outra que cresceu no Terã, alguém que descobriu o amor apenas aos 80 anos… Personalidades distintas compartilhando aspectos pessoais de suas vidas, abordando assunto como esperança, amor, perdas e arrependimentos, transformando a visita dos convidados em uma jornada psicológica que promove a empatia.

O objetivo do projeto é propor uma revolução nas relações humanas através do desenvolvimento da empatia – antídoto perfeito contra preconceito, conflitos sociais e desigualdade.

empatia0
O segundo destino do museu será a Austrália. Entre os dias 18 de fevereiro e 6 de março, a instalação estará presente durante o Perth International Arts Festival.

Além o museu, Roman comanda ainda outro projeto experimental social, a Human Library. Este segue os moldes de uma livraria, mas ao invés de selecionar livros para ler, o visitante escolhe um voluntário que lhe irá contar histórias de sua vida.

Para quem se interessou por ambas as iniciativas, mas não tem condições de viajar para conferi-las, há uma versão online do museu, que disponibiliza áudios com as histórias dos participantes voluntários da instalação.

Comentários

Comentários

Adele Grandis: Taurina com ascendente em touro - isso explica muita coisa!