Kelton: Um Mimo Pra Mama África

Este ano pude ir pela primeira vez a um terreiro de candomblé. Muito em função de ter assistido a um documentário sobre Gilberto Gil, no qual ele falava, entre outras coisas, sobre a relação dele com a Bahia e com a ideia de ser negro no Brasil. Apesar de me considerar agnóstico, fiquei especialmente tocado pela forma como Gil falou da sua relação com as religiões de matriz africana.

Embora me reconhecesse como negro, me dei conta de que até então tivera pouquíssimo estímulo/desejo de vivenciar minha negritude e que talvez por isso minha capacidade de me pensar como negro não fosse tão plena quanto eu pensava. Uma forma “sistêmica” de racismo da qual não havia me dado conta antes: um alijamento sutil de minha sensibilidade pra me compreender como negro. Era preciso, concluí, procurar novas experiências e a partir delas, quem sabe, descobrir coisas sobre mim que não me haviam sido dadas pela minha formação cultural, mas por uma ancestralidade que me atravessava sem que eu a visse de fato.

Ir ao terreiro foi mágico. Foi uma experiência que me fez desconstruir não apenas o que imaginava do candomblé, mas também a própria ideia de religião: não o culto solene, mas a festa amorosa; não a devoção cega, mas a possibilidade de entender que cada pessoa tem o seu tempo e que esses tempos podem viver juntos de forma respeitosa. Esse encontro não me converteu em candomblecista (ainda), mas aprendi que não é disso que se trata. É preciso se abrir pra que os caminhos se apresentem. Ainda não sei o meu de cor, mas sei que passa por descobrimentos como esse, saber o que na superfície do meu corpo tem a ver com o que habita no fundo do peito.

Acho que nunca a ideia de “consciência negra” fez tanto sentido pra mim quanto esse ano. Hoje aprendi a tocar essa música de Chico Cesar e ela também ganhou um colorido especial hoje. Fica de mimo por esse dia especial.

Axé!

K.

Kelton Gomes é cantor, compositor, multiinstrumentista e um dos nomes mais interessantes do novo pop de Brasília. Seu álbum mais recente, “Distraído Concentrado”, arrancou elogios das revistas Rolling Stone Brasil e Sounds and Colours UK. www.keltongomes.com

Comentários

Comentários

ACT Redação é o seu robô preferido.