EUA nomeia gay para liderar Forças Armadas

Eric Fanning (divulgação Exército Americano)

Eric Fanning (divulgação Exército Americano)

O presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, nomeou pela primeira vez na história um homem homossexual para o cargo de Secretário do Exército. Eric Fanning foi nomeado pelo presidente na semana passada, e sua nomeação deve ser ainda aprovada pelo Senado. Fanning ocupa atualmente o cargo de subsecretário do Exército e trabalhou anteriormente como subsecretário da Força Aérea e chefe de gabinete para o secretário de Defesa dos EUA, Ash Carter.

“Eric trás muitos anos de experiência comprovada, e liderança excepcional para seu novo cargo,” Obama disse em declaração. “Eu estou confidente que ele irá liderar os soldados americanos com distinção.” Ash Carter disse que a nomeação de Eric Fanning é uma “escolha excelente” por parte do presidente Obama, e disse que espera por uma confirmação rápida, por parte do Senado.

“Eric serviu no Pentágono, e tem sido um privilégio ao decorrer da minha carreira, trabalhar ao lado dele, e vê-lo se desenvolver em um dos servidores públicos mais dedicados, experientes e inteligentes de nosso país” disse Carter também em comunicado, segundo a Reuters.

Grupos de direitos LGBT dizem que a nomeação de um homem abertamente homossexual à serviço das forças armadas dos EUA são um sinal de progresso na garantia dos direitos LGBT daqueles que servem à força militar mais poderosa do mundo.

O Pentágono atualizou sua política de oportunidade em junho de 2015, banindo a discriminação baseada na orientação sexual. Essa mudança trouxe as regras do Pentágono em conformidade com a decisão de 2011 de acabar com a política “Don’t Ask, Don’t Tell” (Não Pergunte, Não Diga), que permitia o serviço de gays e lésbicas nas forças armadas, sem permitir que as pessoas fossem abertas à sua orientação sexual.

“O Departamento de Defesa tem sido, em muitos aspectos, um defensor dos direitos LGBT, tanto na administração de Obama, quanto no governo em geral,” disse Matt Thorn, diretor executivo interino da OutServe-SLDN, um dos grupos de defesa dos direitos LGBT entre os militares. Porém a população LGBT ainda encontra muitas dificuldades dentro das forças armadas, e companheiros dos militares LGBT ainda não podem acompanhá-los durante o serviço nas bases fora do território dos EUA, segundo Matt Thorn.

A comunidade LGBT ainda espera por resultados de um estudo sobre as implicações de retirar-se o banimento de pessoas transgêneras servirem abertamente às forças armadas. O estudo deverá ser concluído até o fim do ano, disse Thorn à Reuters.

Comentários

Comentários

Nexus Polaris é Pretor Hierofante da Armada, Cônsul de Atlantis para esta Dimensão nas horas vagas... Mas também produtor cultural e ativista que cursou Gestão em Políticas Públicas pela USP, responsável pela editoria Política.